13Julho2020

                                                                                                                                                                                                                              ÁREA RESTRITA | DIRETORIA

Você está aqui: Principal Notícias Comunicados Agência de Vigilância Sanitária pode não mais regular sobre os requisitos mínimos de funcionamento das UTI’s

Agência de Vigilância Sanitária pode não mais regular sobre os requisitos mínimos de funcionamento das UTI’s

 

 anvisa web com fundo

 

A abertura da consulta pública 753/2019 pela Agência de Vigilância Sanitária - ANVISA,  coloca em pauta se a ANVISA deve deixar de legislar sobre os requisitos mínimos em termos de recursos humanos nas Unidade de Terapia Intensiva (UTIs).

Em carta aberta a comunidade médica e à população, datada em 8 de Janeiro deste ano, a Associação de Medicina Intensiva Brasileira (AMIB), se pergunta: “Que outra instituição terá o poder de legislar e em especial de fiscalizar a adequação dessas unidades senão a ANVISA? Quem serão os responsáveis por estas ações?” Afinal, por mais que as instituições médicas possam fazer recomendações que objetivam o melhor cuidado ao paciente, sem poder de lei, a não implementação dessas recomendações pode vir a colocar em risco a vida dos pacientes.

Além disso,  esse mesmo documento não deixa de sublinhar que dada a complexidade de cuidados necessária em um UTI, “o delineamento dos requisitos mínimos de funcionamento dessas unidades deve incluir de forma cuidadosa o dimensionamento quantitativo e qualitativo; desde a área física necessária, equipamentos e infraestrutura hospitalar de suporte (como laboratório, radiologia, etc.); mas principalmente o dimensionamento e qualificação da equipe multiprofissional que a compõe estando neste último item, o grande diferencial na assistência segura e de qualidade nessas unidades”.

Com isso, a AMIB conclui: “(...) unidades que não incluam esses requisitos mínimos, podem ao contrário do que devem se propor, não apresentar os resultados em melhoria de morbidade e mortalidade bem como aumentar os custos na assistência de saúde”.

Sendo assim, convocamos a todo profissional psicólogo que se posicione de forma a garantir a continuidade da regulação pela ANVISA dos requisitos mínimos para o funcionamento da Unidade de Terapia Intensiva.  

  1. Link para acompanhamento da consulta pública http://formsus.datasus.gov.br/site/resultado.php?id_aplicacao=52670
  2. Para participar da votação este é o link:  http://formsus.datasus.gov.br/site/formulario.php?id_aplicacao=52670

OBS: Para votar contra a proposta é preciso selecionar o ítem “Tenho outra opinião”, já que não há a opção “não”.